top of page
Buscar
  • Jornal

Comportamento do pai da adolescente abusada na UTI chamou a atenção de enfermeiras


O Profissão Repórter desta terça-feira (11) mostrou o caso de um pai que foi preso após ser filmado abusando da filha menor de idade, que está internada na UTI.

Os vídeos foram gravados pela equipe de enfermagem do hospital durante a madrugada, em maio. Os funcionários desconfiaram das atitudes do pai e notaram mudanças no comportamento da jovem.

Estupro de vulnerável foi o tema do Profissão Repórter desta semana. Esse tipo de crime se aplica a situações em que a vítima é uma criança ou adolescente com menos de 14 anos ou sem discernimento no momento do ato — quando não consegue se defender. São 56 mil denúncias de estupro de vulnerável por ano no Brasil, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. 153 casos por dia e seis a cada hora.

⚠️ As histórias são delicadas e difíceis de contar, mas importantes como alerta para proteger crianças e adolescentes.

Sob condição de anonimato, duas funcionárias aceitaram falar com o Profissão Repórter e contaram o que viram (veja no vídeo acima). O caso ocorreu em São Paulo.


"Observamos que, durante o tempo que ela ficava com o pai, era o momento em que realmente ela se agitava mais, tinha taquicardia. A equipe toda ficou em alerta, porque a gente não queria acreditar que era o que realmente a gente estava vendo ali. Era uma situação de abuso”, disse uma funcionária.

Outra profissional descreve o comportamento do pai.


"Ele acariciou o seio dela. Eu vi por duas vezes na noite de sexta-feira. Ele abria a fralda dela por duas vezes e nós brigamos com ele, [dissemos] que não era para ele fazer aquilo. Ele mexia muito na perna, beijava meio que de canto de boca, se esfregava na beira da cama e, ao sair, ele ajeitava a roupa e se direcionava ao banheiro."


Investigação policial


A polícia ouviu sete funcionários do hospital como testemunhas durante as investigações. Segundo os relatos, o homem fechava a cortina no leito da UTI.

O laudo do IML (Instituto Médico Legal) concluiu que a adolescente apresentava "lesões compatíveis com a prática de atos libidinosos". O homem foi preso no dia 13 de maio e é réu por estupro de vulnerável.

O advogado do acusado diz que ele nega veementemente as acusações, que as gravações não confirmam com exatidão a prática do crime e que, por isso, ele deve ser considerado inocente até que se prove o contrário.

A garota foi internada após ter uma parada cardiorrespiratória que gerou sequelas. Ela continua no hospital.


Via g1

99 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page